Restrição calórica: intermitente X contínua




Uma das grandes preocupações na saúde mundial é a obesidade e suas consequências. A obesidade está associada com a hipertrigliceridemia (HTG), isto é, concentrações superiores a 150 mg/dL de triglicérides, e a sua presença entre os adultos do mundo todo têm aumentado com o passar dos anos. A HTG pode ter um papel no desenvolvimento de distúrbios metabólicos como doenças cardiovasculares e pancreatite.⠀

Recentemente, têm entrado na moda as dietas que empregam a restrição calórica intermitente como uma forma de controlar o peso. Essas dietas possuem potencial para combater marcadores de obesidade, entretanto os impactos em pacientes com HTG são desconhecidos ainda.⠀

Um estudo recente tenta entender esse impacto. Nele, foram utilizados 88 pacientes com sobrepeso ou obesidade e HTG (leve a moderado), que foram divididos aleatoriamente em dois grupos: um que seguiu uma dieta de restrição calórica contínua e outro que seguiu uma dieta calórica intermitente (pouca caloria em 3 dias da semana) por 8 semanas.⠀

Ao final do período, o grupo analisou a composição corporal dos pacientes e outros parâmetros. Alguns dos resultados principais foram:⠀

O peso corporal diminuiu em ambos os grupos, sem muitas diferenças significativas;⠀

Não houve grandes diferenças entre a quantidade de massa gorda ou magra perdida nem na circunferência da cintura;⠀

Ambos os grupos atingiram uma redução da quantidade de triglicérides no plasma após as 8 semanas sem muitas diferenças na quantidade reduzida em cada grupo;⠀

A resistência à insulina melhorou significativamente no grupo de restrição intermitente em comparação com o contínuo;⠀

O grupo conclui que os dados sugerem que uma dieta restritiva intermitente por 3 dias da semana é comparável a uma dieta restritiva contínua para a diminuição dos triglicérides em pacientes com HTG e que a curto prazo parece ser mais eficiente. O que você prefere: fazer uma dieta com jejum intermitente sem passar fome ou passar fome todos os dias?⠀

MAIS TEXTOS