Refrigerante e as taxas de mortalidade




O consumo de refrigerantes é cada vez mais desenfreado na sociedade atual. Com isso, foi publicado um estudo no JAMA Internal Medicina, que avaliou a associação entre o consumo de bebidas gaseificadas e mortalidade em 10 países europeus.


Esse estudo de coorte envolveu 521330 indivíduos participantes do EPIC (Investigação Europeia prospectiva em Câncer e Nutrição), com idade média de 50 anos, sendo 70% mulheres. O acompanhamento foi realizado durante 8 anos, sendo excluídos da pesquisa aqueles que reportaram câncer, infarto, diabetes ,informações implausíveis sobre dieta, ausência de consumo de refrigerante e com acompanhamento falho.


Maior mortalidade foi observada em participantes que ingeriram 2 copos ou mais de bebidas gaseificadas gerais, bebidas gaseificadas artificialmente adoçadas e açucaradas. Bebidas artificialmente adoçadas apresentaram associação positiva com maior morte por doenças circulatórias. Já as bebidas açucaradas apresentaram maior associação com doenças digestivas.


O artigo conclui que o consumo desse tipo de bebida está associado com maior mortalidade por quaisquer causas. Novos estudos são importantes para avaliar possíveis relações causais entre o consumo de bebidas gaseificadas e adoçadas e maior risco de desenvolver doenças potencialmente fatais.

MAIS TEXTOS