Radioterapia e dieta cetogênica




A radioterapia é tratamento padrão para diversos tipos de tumores. A radiobiologia atua com base no princípio de que os tumores têm rápidas respostas proliferativas, enquanto as células normais tem respostas mais lentas. Dessa forma, a radioterapia afeta o reparo do DNA tumoral, a replicação e distribuição celular e a reoxigenação da célula tumoral.⠀

Fatores intrínsecos (ex: genéticos) e ambientais podem aumentar a resistência a esse tipo de terapêutica, como hipóxia (Baixos níveis de oxigênio), níveis elevados de lactato e de fatores de crescimento e GLICOSE ALTA.⠀

A restrição calórica associada a REDUÇÃO da glicemia e da insulinemia parecem ter efeitos sinérgicos com a radioterapia. O uso da dieta cetogênica é uma aplicação clínica muito viável e segura neste contexto. A associação da dieta cetogênica com a radioterapia pode promover algumas vantagens, como:⠀

Intensificação do efeito da radioterapia no tecido tumoral;⠀

Proteção de tecido normal;⠀

Promoção de prejuízo ao reparo de DNA do tumor;⠀

Essas conclusões são referentes a várias pesquisas em animais e reforçam como possível plausibilidade biológica os efeitos moleculares da dieta cetogênica associada a radioterapia. ⠀

O estudo contém as imagens a seguir. Nelas, observamos um comparativo da evolução tumoral considerando (a) um jejum em dias alternados e (b) uma restrição calórica geral de 30%. Em ambos os gráficos, observamos como a evolução em dias do volume do tumor (representado no eixo vertical) em ambas as formas de alimentação se compara com uma alimentação sem restrição (Ad lib, linhas azuis). Nos gráficos, há um comparativo com apenas o tratamento de radioterapia com 8 unidades de absorção de dose (linhas vermelhas), apenas as dietas hipocalóricas (linhas verdes) e a combinação da radioterapia com a dieta hipocalórica (linhas roxas).⠀

MAIS TEXTOS