Por que low carb no diabetes tipo 1?




Escolhi estatísticas brasileiras para que vocês vejam que realmente isso reflete a realidade de vocês. Muitos endocrinologistas alegam que é perfeitamente possível para todos terem um bom controle com a dieta da American Diabetes Association (ADA), se seguirem as recomendações direitinho.


A maioria dos diabéticos tipo 1 estão com controle muito ruim independente de seguirem ou não as orientações nutricionais da ADA, consideradas o padrão ouro do tratamento atual. Os diabéticos, para chegarem a uma hemoglobina glicada (A1c) considerada ideal, acabam tendo muitas hipoglicemias, pior qualidade de vida e mais complicações. Vejam os dados que trouxe hoje. São dados atuais.


A absorção da insulina está sujeita à influência de inúmeros fatores, tornando difícil o controle daqueles que usam doses altas da mesma. Isso torna a vida do diabético tipo 1 bem complicada, pois aplicando a mesma dose, com a mesma técnica, no mesmo lugar, ele pode ter resultados diferentes.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A dieta low carb propicia uma redução dramática nas doses de insulinas, tanto da basal quanto das insulinas rápidas. Isso é muito interessante do ponto de vista da redução de erros de dosagens (quanto menor a dose, menor o erro).


Você já ficou chateado porque comeu a mesma coisa ontem e hoje e teve resultados completamente diferentes da glicemia pós-prandial? Aqui mostro uma das razões!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A variação permitida na quantidade de carboidrato declarada no rótulo dos alimentos é de 20% PARA MAIS OU PARA MENOS. Isso é um grande problema para aqueles que calculam a dose de insulina rápida baseado nessas informações. Lembrando que a absorção da insulina pode variar até 25% numa pessoa, fica mais complicado ainda!

MAIS TEXTOS