Obesidade infantil


Continuando a falar sobre obesidade. Se antes da pandemia a situação já era ruim, imagina depois, com todas as dificuldades que nós adultos mas principalmente as crianças tem confinadas em casa. ⠀

Muita gente começou a cozinhar e as famílias mais privilegiadas puderam planejar o cardápio diário, pensando na manutenção da imunidade etc e esquema de home-office dos pais permitiu que todos fizessem refeições juntos. ⠀

No entanto, existe também o outro lado, já que muitos pais exaustos não conseguiram estabelecer uma rotina e limites, acabando por ceder aos “desencantos” da indústria alimentícia. Além disso, privadas tanto das atividades cotidianas como ir para a escola, brincar mas também as crianças também se afastaram da atividade física e se aproximaram do sedentarismo, além claro de estarem consumindo muito mais doces e fast-food.⠀

Como falei no post anterior, os números da obesidade no Brasil não param de crescer : 19,4% dos nossos adolescentes estão acima do peso, sendo 6,7% já obesos. Precisamos urgentemente que o poder público comece a fazer alguma coisa, como estimular a oferta de serviços de alimentação saudável a baixo preço e incentivar doações de alimentos de boa qualidade nutricional, caso contrário em poucos anos teremos uma sociedade majoritariamente doente e um sistema de saúde completamente sobrecarregado.


Se é que já não temos, não é?⠀

MAIS TEXTOS