Low carb para militares é o futuro?




Para quem acompanha o PODCAST da TRIBO FORTE (eu não perco um) , foi discutida recentemente uma reportagem do Washington Times com a seguinte manchete: “O pentágono se interessa por uma dieta controversa com o objetivo de formar guerreiros mais letais”. A notícia revela que dietas restritas em carboidratos tem sido foco de grandes oficiais do pentágono.⠀

A reportagem diz que a dieta cetogênica pode favorecer os militares a permanecerem mais tempo embaixo da água. Sabem porque? O estado de cetose altera o metabolismo, podendo modificar a necessidade de oxigênio no corpo e fazendo com que a falta de oxigenação, em tais situações, seja melhor tolerada. Outros estudos mostraram também que eles toleram melhor baixas temperaturas e ficam mais focados quando falta alimento, tolerando jejuns mais longos.⠀

O Dr. D’Agostino é um grande pesquisador nessa área e iniciou suas pesquisas com a teoria de que mergulhadores militares poderiam se beneficiar com a dieta, também, pelo fato de que podem ter convulsões devido à descompressão em grandes profundidades. Além disso, atualmente, foi observado um aumento de obesidade entre militares americanos, o que traz ainda mais interesse nesse tipo de dieta. Como a alimentação nesses locais segue as diretrizes oficiais de nutrição, isso nos faz questionar ainda mais as orientações dietéticas atuais. Será que o governo americano iria colocar em risco a vida dos soldados de ponta com uma dieta perigosa? Eu acho que não.⠀

A grande dificuldade para oficializar esse tipo de dieta para uso em atletas e militares é ainda o preconceito de grandes órgãos oficiais mesmo com tantas evidências científicas atuais que mostram os benefícios das dietas restritas em carboidratos.

MAIS TEXTOS