Estatinas podem ter efeitos metabólicos negativos?




Em Maio de 2020 foi publicado um estudo no Journal of the Endocrine Society, apresentando que pessoas em uso de estatina demonstraram níveis mais elevados de resistência insulínica. A estatinas são usadas para redução de risco cardiovascular ao promover a redução do colesterol livre no organismo, no entanto parece que estas estão associadas a maior risco de desenvolvimento de Diabetes. ⠀

O estudo observacional realizado pelo Canadian Multicenter Osteoporosis Study (CaMos) incluiu 609 indivíduos (idade média: 71 anos com 74% de mulheres), com 152 usuários de estatina. A avaliação da resistência insulínica foi realizada pelo cálculo do HOMA-IR, sendo que este foi bem maior nos usuários do medicamento: 2.6 [95% CI, 1.9-4.4] vs 1.7 [95% CI, 1-2.9] em não usuários; P <0,01, com diferença significativa estatisticamente. ⠀

Foi avaliado se o tipo de estatina faria diferença. Existem 2 tipos: hidrofílicas(dissolvem bem na água) e lipofílicas (dissolvem bem em gordura). Tradicionalmente sabe-se que as lipofílicas estão mais associadas ao desenvolvimento de diabetes.⠀

No entanto, neste estudo, as alterações metabólicas foram mais relevantes nos participantes que faziam uso do grupo de estatinas hidrofílicas, principalmente os que usavam rosuvastatina. Essa medicação, quando comparada com outras estatinas, é associada a um risco ainda mais elevado de desenvolver diabetes tipo II. Com exceção da rosuvastatina, as estatinas hidrofílicas (se dissolvem em água) parecem estar menos relacionadas com o desenvolvimento de diabetes, mas, ainda assim, o estudo mostrou maior resistência à insulina em usuários de tais medicações. ⠀

Assim, conclui-se que as estatinas são medicamentos de indicação cada vez mais questionável, já que, de acordo com o estudo, estas aumentam o risco de desenvolvimento de Diabetes. Dessa forma, o uso das estatinas deve ser MUITO criterioso!!

MAIS TEXTOS