Doença hepática gordurosa não alcoólica: um emergente causador de arritmia cardíaca.




Arritmias cardíacas e a morte cardíaca resultante são complicações cardiovasculares com impactos não só na vida dos pacientes, como também na sociedade. No artigo de revisão que estou trazendo hoje, os autores afirmam que apesar de a maioria dos estudos focarem na relação entre a doença e fibrilação atrial, a associação com arritmia ventricular e defeitos na condução cardíaca também foram reportadas. ⠀

Investigações sugerem que um número de alterações patofisiológicas associadas à doença hepática podem potencialmente desencadear remodelações estruturais, elétricas e autonômicas no coração, contribuindo para substratos arritmogênicos no coração. A doença hepática gordurosa é hoje a síndrome metabólica no fígado mais comum no mundo e está diretamente ligada à resistência insulínica e ao aumento de ingestão de açúcar e bebidas adoçadas com açúcar e xarope de milho / frutose.⠀

Esteatose hepática é o início do diabetes, só que no fígado. Entretanto, o aumento na prevalência dessa doença como um fator de risco emergente para arritmias cardíacas tem recebido pouca atenção.⠀

Os pesquisadores recomendam que pacientes sendo examinados para a doença hepática gordurosa não alcoólica também sejam examinados para arritmias cardíacas como fibrilação atrial para que seja avaliado o risco no geral e os benefícios para o paciente. Somado a isso, o aumento da atenção do público e intervenções de políticas públicas são de grande importância para tornar o custo benefício do controle da doença maior.⠀

Bora cortar o lixo da dieta gente!⠀

MAIS TEXTOS