Doença coronariana e gordura saturada: existe alguma relação?




As diretrizes dietéticas continuam recomendando a restrição das gorduras saturadas (carnes, ovos, manteiga, laticínios etc). Essa recomendação vem em grande parte da observação de que essas gorduras podem aumentar os níveis de colesterol total, aumentando assim, supostamente, o risco de doença cardíaca coronária aterosclerótica. No entanto, o colesterol total está pouco associado à doença, e mais importante do que o nível total de colesterol no sangue pode ser o número e o tamanho das partículas de lipoproteína de baixa densidade (LDL) que o contêm. ⠀

Quanto às gorduras saturadas, elas são uma classe diversa de compostos. Diferentes gorduras podem ter efeitos também diferentes no LDL e no risco de aterosclerose com base nos ácidos graxos saturados específicos que eles contêm. Porém, é importante ressaltar que as pessoas comem comida, não ácidos graxos isolados. Algumas fontes alimentares de ácidos graxos saturados podem não representar nenhum risco ou possivelmente até mesmo ser protetoras. ⠀

Assim, o conselho para reduzir a gordura saturada na dieta sem levar isso em conta pode, na verdade, aumentar o risco de aterosclerose. Quando diminuímos as gorduras saturadas, elas são substituídas principalmente por carboidratos refinados e, especificamente, por açúcares adicionados (como sacarose ou xarope de milho com alto teor de frutose). O resultado final certamente não é favorável para a saúde do coração. Essa substituição leva a alterações no LDL, na lipoproteína de alta densidade (HDL) e nos triglicerídeos que podem aumentar o risco da doença. ⠀

Além disso, as dietas ricas em açúcar podem induzir muitos outros problemas associados ao risco cardiovascular, incluindo níveis elevados de glicose, insulina, ácido úrico, tolerância à glicose diminuída, resistência à insulina e leptina, doença hepática gordurosa não alcoólica e função plaquetária alterada. ⠀


Descobriu-se que uma dieta rica em açúcares adicionados causa um risco três vezes maior de morte devido a doenças cardiovasculares. Mas os açúcares, assim como as gorduras saturadas, são uma classe diversa de compostos. ⠀

O monossacarídeo, a frutose e adoçantes contendo frutose (por exemplo, sacarose) resultam em maiores graus de anormalidades metabólicas do que observados com glicose (seja isolada como um monômero ou em cadeias como amido) e podem apresentar maior risco cardiovascular.⠀

As diretrizes deveriam tirar o foco da gordura saturada e focar principalmente na redução da ingestão de açúcares concentrados, especificamente os açúcares que contêm frutose, como sacarose e xarope de milho com alto teor de frutose, na forma de alimentos e bebidas ultraprocessados.⠀

MAIS TEXTOS