Dieta cetogênica no tratamento da acromegalia




A Acromegalia é causada geralmente por um tumor cerebral na Hipófise, que cursa com a produção aumentada de GH (Hormônio do Crescimento), estimulando a produção pelo fígado de IGF-1 (Fator de crescimento semelhante à Insulina tipo I). O IGF-1 é um hormônio que causa crescimento excessivo. Em crianças, o gigantismo. Em adultos, ocorre crescimento das extremidades, principalmente mãos, pés, língua e queixo (muda a feição literalmente). Passem as fotos para o lado para ver. O paciente queixa dores de cabeça, alterações visuais, além de distúrbios cardiovasculares (alterações do músculo cardíaco com arritmias); metabólicos (aumento do risco de diabetes) e aumento do risco de câncer, principalmente de intestino.⠀

O excesso de IGF-1 é o principal responsável pelas alterações clínicas, sendo que um dos principais objetivos do tratamento é diminuir sua concentração. Sabe-se que a redução da concentração de insulina, diminui os receptores hepáticos de IGF-1, impedindo a atuação exacerbada desse hormônio. Dessa forma,⠀

diminuir a hiperinsulinemia poderia ser adjuvante ao tratamento da acromegalia. ⠀

⠀ ⠀

E o que pode promover a redução dos níveis de insulina? Isso mesmo, a dieta cetogênica. Com isso, artigo publicado no New England apresentou um pequeno estudo com a intenção de avaliar se o uso da dieta cetogênica poderia ser eficaz no tratamento da acromegalia.⠀


11 pacientes realizaram, durante 2 semanas, uma dieta cetogênica: 35g de carboidratos, 155g de gorduras e 115 g de proteínas por dia, além de uso de análogos de somatostatina (hormônio que inibe produção de IGF-1). A média de concentração de IGF-I reduziu em cerca de 20%. Apenas 1 dos participantes manteve valores do hormônio acima do normal, mas, ainda assim, teve uma importante redução da resistência insulínica e dos valores absolutos de IGF-1. Além disso, foi observada uma redução nos níveis de hemoglobina glicada e perda de peso, apesar de não ter sido feita redução calórica da dieta usual dos pacientes.


A dieta foi bem aceita por todos os participantes, sendo que 6 pacientes mantiveram esta após o estudo. 3 destes participantes puderam reduzir a dose do análogo de somatostatina com a adição da dieta. Sendo assim, o artigo concluiu que a dieta cetogênica pode ser usada como adjuvante no tratamento de acromegalia.

MAIS TEXTOS