Diabetes e câncer ginecológico




Olha como já sabemos, há mais de 15 anos, que resistência insulínica está relacionada ao câncer! Vejam que isso não é modinha nem alarmismo! Artigo da espetacular @Cintiafonseca76 💛⠀

O Diabetes Mellitus e o Câncer Ginecológico são patologias responsáveis por consideráveis taxas de morbimortalidade entre as mulheres. O que é ainda mais relevante é que ambos os quadros estão, muitas vezes, associados. ⠀

O câncer de endométrio é a neoplasia maligna mais comum do trato genital feminino, sendo que sua frequência tem aumentado com a maior expectativa de vida das mulheres. A formação desse tumor está associada com maiores produções de estrogênio, condição favorecida por hiperinsulinemia e obesidade. Alguns estudos mostram a influência direta e indireta da insulina no aumento da carcinogênese. Pesquisas clínicas e observacionais mostraram aumento do risco de diabéticas em desenvolverem o câncer, além de maior mortalidade quando as patologias são associadas. A obesidade é fator sinérgico ao diabetes em aumentar tal risco. ⠀

O câncer de mama é o segundo mais comum entre as mulheres no Brasil. Sua origem depende de diversos fatores genéticos e ambientais. Estudos observacionais mostraram que maior incidência do câncer de mama entre mulheres diabéticas, quando comparadas com não diabéticas. Isso, principalmente, após a menopausa. A teoria é de que a hiperglicemia poderia aumentar o risco. As atividades físicas e boa alimentação são essenciais para a prevenção do câncer de mama.⠀

O excesso de peso predispõe ao surgimento de DM tipo II com desenvolvimento de resistência insulínico e hiperinsulinemia crônica. Esta última relaciona-se ao aumento de substâncias com potencial carcinogênico. Assim, as alterações metabólicas do diabetes tem forte relação com câncer ginecológico, sendo os cuidados alimentares essenciais para a prevenção!!! ⠀

MAIS TEXTOS