Controle glicêmico e Covid-19




Infecção é uma das principais causas de morbidade e mortalidade entre os diabéticos. O diabetes é fator de risco para complicações de diversas infecções, como tuberculose, pneumonia, H1N1 e, como já sabemos, SARS-CoV-2 .

Nos EUA, foi reportado que há uma prevalência de 11% de diabéticos entre os infectados com Covid-19, sendo que 60% necessitaram de internação hospitalar. Já na China e na Itália, essa taxa sobe de 11% para 19%, sendo que 25% daqueles que não sobreviveram apresentavam diabetes. Na China, a mortalidade em pacientes diabéticos (glicose média acima de 178 mg/dl) foi de 28,8%, comparada a 6% em pacientes com glicemia normal.


Os mecanismos de maior complicação das infecções em diabéticos têm relação com efeitos micro e macrovasculares, mas ainda não são muito bem compreendidos. Porém, é bem compreendido que valores acima de 200 mg/dl de glicose no sangue dificultam o funcionamento das células de defesa. Níveis glicêmicos elevados impedem a ação dos linfócitos T citotóxicos, os soldados que efetivamente vão lá matar as bactérias e os vírus ( a infantaria do nosso sistema imunológico). Além disso, em diabéticos há uma maior resposta inflamatória com liberação de mediadores inflamatórios (citocinas) como IL-2 , IFN-gamma, TNF-alfa, IL-6 e outras interleucinas, o que pode resultar rapidamente na tempestade inflamatória da fase terminal de pacientes com Covid-19.


Os diabéticos já têm que lidar com níveis glicêmicos aumentados em qualquer infecção (situações nas quais a resistência insulínica aumenta), mas o COVID-19 sozinho pode aumentar a glicemia agindo via sistema Renina-Angiotensina. Com isso, O CONTROLE GLICÊMICO é uma importante ferramenta para reduzir a severidade do Covid-19. Isso é ainda mais relevante antes da infecção com controle diário da glicose em diabéticos.


É importante reforçarmos a idéia de que o acompanhamento de pacientes crônicos não pode ser negligenciado durante a pandemia. Apesar das dificuldades, quem tiver recursos deve manter o controle médico por meio de atendimentos remotos/teleatendimentos, por exemplo, principalmente em casos de diabetes sem cuidado adequado.


Nesse contexto, a dieta low carb é uma forma rápida de controle da glicemia. Procure um especialista para a melhora introdução dessa dieta com o adequado manejo (introdução e suspensão) das suas medicações.

MAIS TEXTOS