Como saber se você tem resistência à insulina?




Já discutimos sobre o círculo vicioso da insulina e dos carboidratos, principalmente bebidas açucaradas e farináceos. Mas como saber se você está desenvolvendo resistência à insulina? Como perceber precocemente e tomar uma atitude para impedir que ela cause o diabetes? 🤔


Se você tem sinais da síndrome metabólica, provavelmente você já a tem. São eles:

- Hipertensão

- Obesidade central (acúmulo de gordura no abdome)

- HDL baixo (menor que 40mg/dL em homens e que 50mg/dL em mulheres)

- Triglicérides altos (acima de 150mg/dL)


Outros sinais e alterações de exames que sugerem resistência insulínica são:

- Acantose nas axilas, pescoço e virilhas (escurecimento da pele nessas regiões)

- Exames de sangue alterados: ácido úrico, ferritina alta, insulina em jejum alta, glicemia em jejum acima de 99mg/dL, hemoglobina glicada Alc acima de 5,6%, HOMA IR acima de 2,5 (calcula-se multiplicando a insulina em jejum pela glicemia em jejum e dividindo o resultado por 405)

- Doenças que sabidamente cursam com resistência à insulina: síndrome dos ovários policísticos, Gota, mulheres que tiveram diabetes gestacional

- Histórico familiar forte de diabetes tipo 2 e/ou obesidade


Se pudéssemos ficar mais atentos a esses sinais e sintomas da resistência insulínica, poderíamos evitar milhares de novos casos de diabetes a cada ano. Veja se você se encaixa nesses critérios acima, procure um médico e faça os exames!


Você pode começar fazendo exercício físico, dando prioridade para musculação de 2 a 3 vezes na semana (quanto mais massa magra, melhor o metabolismo e mais sensível você fica à insulina). Exercícios aeróbicos também são interessantes, por serem um estímulo diferente e por melhorarem o condicionamento vascular. 🏋🚴 E quanto à dieta? Ah, isso falamos na próxima coluna!

MAIS TEXTOS