Associação entre tempo de sono, obesidade e diabetes




Estudos recentes vêm apontando a relação entre a duração do sono e o desenvolvimento de doenças metabólicas. Poucos destes chegaram a examinar o tempo de sono, o que pode ser um importante fator a ser considerado.⠀

Um dos primeiros estudos a levar essa variável em consideração analisou um grupo de mais de 13 mil participantes com idades entre 18 e 74 anos sendo o grupo composto majoritariamente de pessoas com ascendência latina/hispânica. Não foram considerados participantes que estavam tomando medicamentos para diabetes.⠀

Para o estudo, os pacientes foram pedidos para descrever o tempo de sono deles (quantas horas de sono por noite e o horário que acordavam). Além disso, os pesquisadores registraram o índice de massa corporal, níveis de glicose no sangue durante o jejum, resistência insulínica, níveis de glicose 2 horas após a ingestão e concentração de hemoglobina tipo A1c.⠀

Observou-se que, quanto mais tarde os pacientes diabéticos iam dormir, maior era a concentração de glicose no sangue. Em pacientes com e sem diabetes, observou-se que a resistência insulínica estava associada com o tempo de duração do sono. Os pesquisadores concluíram que existe uma associação entre a resistência insulínica e o horário de ir dormir que independe da idade.⠀

O ideal pessoal, ao meu ver, é estar na cama por volta de 22h e dormir bem, a noite toda, acordando quando o dia nasce e está claro. Assim o ritmo circadiano dos hormônios ( avariação correta durante o dia) é respeitado e PRESERVADO!⠀

MAIS TEXTOS