Alteração da microbiota intestinal com a dieta cetogênica




Recentemente foi publicado um estudo norte-americano bem completo sobre alterações da microbiota intestinal com a dieta cetogênica. A microbiota intestinal tem um papel central na coordenação do metabolismo e da imunidade.

O artigo apresentou o efeito dos corpos cetônicos na flora do intestino mostrado em experiências in vivo e in vitro. A análise genômica e metabólica mostrou mudanças nas bactérias da flora intestinal com inibição do crescimento de bifidobacteria e redução de células pró-inflamatórias (Th17). Acredita-se que essa mudança possa relacionar-se com o efeito positivo da dieta cetogênica na melhora da síndrome metabólica, quadro muito asssociado à inflamação no organismo.

Além disso, a pesquisa discute que a redução das células Th17 com a dieta pode estar relacionada, também, ao potencial da cetose na melhora de epilepsia refratária ao tratamento medicamentoso. Ademais, doenças auto-imunes costumam estar associadas com níveis mais elevados de tais células.

A explicação para tais conclusões ainda é incerta, o que faz o artigo reforçar que são precisas análises individuais da resposta do organismo humano à dieta cetogênica. Novos estudos são importantes para melhor entendimento da função das células Th17 no organismo.

Por fim, conclui-se que nossa dieta afeta diretamente a formação da nossa microbiota intestinal, o que tem implicações no funcionamento do nosso organismo, afetando diversos sistemas, com destaque para a nossa resposta imunológica. Será que a dieta cetogênica poderia ajudar na prevenção e tratamento de doenças auto-imunes? Sabe-se que, na esclerose múltipla, com certeza ajuda, na ELA (esclerose lateral amiotrófia), possivelmente também.

MAIS TEXTOS