A montanha russa dos hormônios




Como já falamos aqui anteriormente, cada macronutriente (proteínas, carboidratos e gorduras) apresenta metabolismos diferentes, influenciando a saciedade de formas distintas. .

Um estudo de 2008, avaliou 16 pessoas após ingerirem shakes, com mesmo volume e calorias, mas com diferentes quantidades de macronutrientes. Para analisar as diferenças de apetite entre cada situação, foi mensurada o valor da grelina, hormônio que proporciona sensação de fome Ou seja, quanto mais o suprime a grelina, menos fome você tem. .

De forma resumida (confira o gráfico ao lado):

.

🥤Shake rico em gorduras: a grelina caiu no começo, suavemente e se manteve baixa por muitas horas; .

🥤Shake rico em proteínas: a grelina caiu consideravelmente e mais rapidamente, além de se manter baixa por mais tempo; .

🥤Shake rico em carboidratos: a grelina caiu mais rápido, porém após 3 horas o hormônio subiu drasticamente, muito mais do que nas outras duas situações. .

É importante ressaltar como que a grelina ainda se mantém abaixo do referencial inicial (valor medido em jejum) por muito tempo (mais de 6h), no caso das proteínas e gorduras. Isso explica porque é mais fácil reduzir calorias na low carb, uma vez que a sensação de saciedade é muito maior, por muito mais tempo. Em dietas low fat, a fome é muito maior, então se não for feita a contagem calórica, a pessoa irá comer muito mais. .

Assim, apresentamos mais um importante fator que favorece as dietas low carb para a perda de peso. Busque um profissional e encontre a melhor dieta para você! 👩🏻⚕️

MAIS TEXTOS