Você sabe quais são os benefícios da cúrcuma?

Você costuma incluir cúrcuma na alimentação? Se você não sabe exatamente o que é a cúrcuma, talvez tenha ouvido falar do curry, um tempero famoso na culinária indiana. É justamente a cúrcuma – ou açafrão-da-terra – que dá a cor ao curry.

Cúrcuma ou açafrão-da-terra

Mas, mais importante que tudo isso, são os benefícios da cúrcuma para nosso organismo. Olhe só:


Um estudo internacional, feito na Tailândia, mostrou que a cúrcuma é uma poderosa aliada contra dores e ainda ajuda a melhorar as funções do organismo.


Os estudiosos avaliaram 367 pessoas com osteoartrite. A osteoartrite é o problema mais comum de degeneração de articulações em pessoas mais velhas e um dos maiores problemas de saúde pública no mundo, segundo os estudiosos. Ela ainda é uma das principais causas de dor, o que a leva a ser a quarta causa de deficiência entre a população mais velha.


Outro problema é o aumento do risco de outras doenças, porque leva à incapacidade, como dificuldade para andar, de manter cuidados pessoais etc.


No estudo tailandês, durante quatro semanas, os pesquisadores fizeram com que parte dos indivíduos com osteoartrite recebessem doses de ibuprofeno – um conhecido tipo de anti-inflamatório – e outra parte recebesse porções de cúrcuma.


Segundo os estudiosos, após análises dos participantes, os resultados comprovaram que a raiz é tão eficiente quanto o medicamento industrializado testado no estudo para tratar pessoas com osteoartrite. Além disso, a cúrcuma apresentou menos efeitos gastrointestinais.


Curioso saber que um alimento natural tem tanto poder contra dores, não é mesmo?


Dica: para aumentar a absorção da cúrcuma, melhor consumi-la com pimenta do reino e alguma gordura. Por exemplo: um frango assado (coma a pele!) temperado com cúrcuma, curry, páprica picante, limão, pimenta do reino... Delícia! Ou ovos mexidos na manteiga com cúrcuma, pimenta do reino e bastante manjericão... Seja criativo!


Quer saber mais? Confira o estudo original e acompanhe o Instagram da Dra. Janaina Koenen.

MAIS TEXTOS