É muito importante entender a diferença entre os vários tipos de insulina, pois cada uma tem uma ação no organismo.  Basicamente, são divididas entre insulinas BASAIS e PRANDIAIS. Insulinas basais fazem efeito o tempo todo, são importantes, pois não deixam o fígado produzir glicose sem parar (isso acontece no jejum, senão ele pode desenvolver a cetoacidose diabética que pode matar, quando a concentração de insulina no sangue está muito baixa. O fígado produz glicose para manter os órgãos mais importantes funcionando, como o cérebro e o coração). Por isso, quando o diabético tipo 1 vai fazer uma cirurgia, não se pode suspender totalmente a insulina basal, deve-se aplicar 1/3 à metade da dose, mesmo em jejum.  As melhores insulinas basais são as que se parecem mais com o corpo humano, ou seja, as ultra-lentas, como a glargina e a degludeca. Elas não fazem pico, como veremos a seguir, e isso ajuda a evitar hipoglicemias entre as refeições e de madrugada.

A insulina PRANDIAL é a insulina que vai cobrir um aporte aumentado de glicose, ou seja, uma refeição. Ela deve ser aplicada antes de comer, e o objetivo é que a glicose duas horas após a refeição esteja menor que 180mg/dL (o ideal é <160mg/dL). As melhores insulinas prandiais são as ultra-rápidas, pois tem início de ação com 10-15 minutos e seu efeito dura menos, então cobrem apenas a refeição, que é o objetivo. Também podem ser usadas para corrigir uma glicemia elevada, já que agem na hora. A regular demora 30 minutos para começar a fazer efeito, o que é um inconveniente, pois o correto é aplica-la 30 minutos ANTES de comer. Ela também dura mais do que o necessário (2 a 4 horas), o que pode causar hipoglicemia tardia, especialmente se aplicada JUNTO com a refeição.

O QUE É PRÉ DIABETES?

DIFERENÇA ENTRE INSULINAS

COMO RACIOCINAR NO DIA A DIA


Exemplo: Carla faz uso de insulina NPH, 20 Unidades às 08h da manhã e 10UI às 18h. Faz uso também de insulina regular 4UI meia hora antes do café, almoço e jantar. A sua meta em jejum é de 90 a 130mg/dL e pós prandial (2h após comer) é de 180mg/dL. A meta varia de pessoa para pessoa (pergunte pro seu médico).

Traz um mapa glicêmico com as seguintes glicemias (Veja o post sobre mapa glicêmico para entender melhor):

Percebemos que a paciente está tendo hipoglicemias de madrugada e hiperglicemias após o almoço. A insulina que interfere no jejum é a insulina basal. No caso, ela está em uso da NPH. Provavelmente o médico que prescreveu a insulina tem pouca experiência e não se lembrou que a NPH começa a agir após 4h da aplicação e faz pico de ação com 6-8h (se ela aplicou às 18h, ela vai fazer pico de ação por volta das 02h da manhã, o que aumenta muito o risco de hipoglicemia de madrugada). O médico deve passar a NPH de 18h para 22h e reduzir a sua dose para 6UI e reavaliar o mapa nos próximos dois dias. É importante conhecer a insulina que você está usando. A insulina regular tem um início de ação em 30-40 minutos (por isso temos que aplicar meia hora antes de comer) e faz pico com 2h. É importante sempre fazer a glicemia antes de aplicar a regular das refeições e 2 horas depois, para avaliar se a dose está adequada. A insulina regular de antes do almoço está baixa, pois 2h após o almoço as glicemias estão muito altas. O médico deve aumentar a dose da insulina regular de antes do almoço.
 

Você sabe quais são as insulinas mais adequadas para você? Pergunte ao seu Endocrinologista.

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

© 2017 por NASSIF PRODUÇÕES.